sexta-feira, 6 de junho de 2008

Meus caros bagos

Pode ser que tenha perdido o bonde e isso seja assunto velho ou nem seja assunto. Mas fazia tempinho que não ia às gôndolas e embasbaquei: o que aconteceu com o preço do quilo do feijão???

Tenho ouvido que a previsão dos especialistas para os próximos anos é mesmo uma alta dos gêneros alimentícios. Mas tinha que começar pelo feijão? Meu feijãozinho?

Tanta coisa por aí que podia aumentar o preço que não machucava ninguém. Jiló, por exemplo. Ervilhas. Vagem. Batata-doce. Rúcula.

Mas vá lá: um saquinho de feijão está custando 6,7, 8 reais!

A continuar a escalada dos preços, daqui a pouco, nosso popular feijão tá virando comida nobre, artigo de mesa de bacana. Mais um caso de ascensão social: Brasil, um país de todos.

E se feijão ficar tão caro de sumir do prato do brasileiro? Digo, do brasileiro popular. No futuro, o diálogo seria mais ou menos assim:

- Cara, lembra feijão?
- Nem me fale.
- Tem gosto de infância.
- Lembra o barulhinho da panela de pressão?
- Ô.
- E pensar que, naquela época, a gente nem dava importância. Hoje vejo panela de pressão e fico nostálgico.
- Sei o que sente. Outro dia mesmo li "João e o Pé de Feijão" para ninar a Clarinha.
- Nostalgia pura.
- Poisé. Mas aconteceu algo estranho.
- Sim.
- Ela logo pegou no sono...
- Normal. Eles não têm a mesma conexão sentimental com o feijão que a gente. Afinal, só o comem no Natal.
- Mas, eu não consegui dormir! Passei a noite em claro. E, embora não tenha pregado os olhos...
- Que tem?
- O travesseiro amanheceu todo babado!

5 comentários:

Anônimo disse...

Falar nisso, quandé queocê, a dra. e a duplinha virão provar do feijão da cozinheira aqui de casa, Sá Nene?
A.None Moh

Rubão disse...

Tá danado. Não é de hoje que estamos tentando, mas as agendas não estão batendo. Esse fim de semana tem concurso domingo. No outro, aniversário.

Mas esse mês ainda sai. Ainda mais com o feijão de Sá Nene em perspectiva.

Abraço,
r

MegMarques disse...

OBA!!!!
Já tô com água na boca só de ouvir falar!

nanda disse...

Esse texto tá a cara do Veríssimo! :-)

Eu tb quero comer feijão!

Rubão disse...

Sá Nene: pelo visto, é melhor pôr mais água nesse feijão.